Concordância de Hora & Questões Radicais

 

As opiniões contraditórias de Bonatus e Lilly

 

Compilado por Deborah Houlding

 

 

 

 

Este pequeno ensaio demonstra a contradição nas definições de ‘concordância de hora’ como explicado pelo astrólogo italiano do século XIII, Guido Bonatti, e pelo perito em horária do século XVII, William Lilly.

 

Em relação à concordância da hora planetária, o astrólogo de horária Inglês do século XVII William Lilly explica [1]:

 

“Todos os antigos que escreveram sobre questões avisam o astrólogo que antes de dar o julgamento, deveria considerar se a figura é radical e capaz de julgamento. A questão será então considerada radical ou capaz de ser julgada, quando o regente da hora no momento da apresentação da questão, e do levantamento da figura, e o regente do ascendente ou da primeira casa são da mesma triplicidade, ou da mesma natureza."

 

Lilly então propõe uma demonstração, utilizando uma hora regida por Marte, para ilustrar o que ele quer dizer exactamente:

 

O regente da hora e o ascendente são da mesma triplicidade:

 

 

“Como, por exemplo: deixe o regente da hora ser Marte, deixe o signo de Escorpião, Caranguejo ou Peixes ascender, esta questão é então radical, porque Marte é o regente da hora e da triplicidade da água, ou dos signos Caranguejo, Escorpião ou Peixes.”

 

De acordo com a técnica de Lilly, Marte é o principal regente da triplicidade da água, tanto de dia como de noite. Com as outras triplicidades, a regência modifica-se se o mapa for diurno ou nocturno. Esta concordância só se aplica quando o planeta é o regente da triplicidade apropriada (i.e., para a triplicidade do fogo: o Sol num mapa diurno e Júpiter à noite).

 

 

 

Triplicidades

Humor

Regente Diurno

Regente Nocturno

Fogo

Carneiro, Leão, Sagitário

Quente e Seco

Sol

Júpiter

Terra

Touro, Virgem, Capricórnio

Frio e Seco

Vénus

Lua

Ar

Gémeos, Balança, Aquário

Quente e Húmido

Saturno

Mercúrio

Água

Caranguejo, Escorpião, Peixes

Frio e Húmido

Marte

Marte

 

O regente da hora é o regente do ascendente:

   

Marte concorda com Carneiro e Escorpião, porque rege ambos os signos.

 

O regente da hora possui a mesma natureza humoral que o ascendente:

 

 

Marte concorda com Carneiro, Leão e Sagitário, porque Marte é quente e seco em humor temporal, como são esses signos.

 

Planeta

Humor*

Concorda com

Saturno

Frio e Seco

Terra

Júpiter

Quente e Húmido

Ar

Marte

Quente e Seco

Fogo

Sol

Quente e Seco

Fogo

Vénus

Frio e Húmido

Água

Mercúrio

Frio e Seco

Terra

Lua

Frio e Húmido

Água

 

*Nota: estas qualidades estão algo simplificadas com a finalidade de clareza no entendimento. É mais correcto pensar em Júpiter como ‘tépido e húmido’ em vez de ‘quente e húmido’, e Vénus como ‘fresca e húmida’ em vez de ‘fria e húmida’. Ambas, Vénus e Lua, embora geralmente classificadas como ‘frescas e húmidas’, são planetas temperados que se diz possuírem uma capacidade moderada de aquecimento. Nem o Sol é tão destrutivamente quente e seco como é Marte. Mercúrio pode ser variável no seu humor, de acordo com a sua localização e relação para com outros planetas no mapa, mas inclina-se naturalmente para ser fresco e seco.

 

De acordo com a demonstração de Lilly, uma questão colocada na hora de Marte iria mostrar concordância de hora planetária para mapas que tenham Carneiro, Caranguejo, Leão, Escorpião, Sagitário ou Peixes no ascendente. Nunca seria possível encontrar concordância de hora planetária na hora de Marte quando Touro, Gémeos, Virgem, Balança, Capricórnio ou Aquário estão no ascendente.

 

A definição de Bonatti:

Muitas passagens na Astrologia Cristã exibem uma semelhança próxima aos capítulos dos textos do início do século XIII de Guido Bonatus, o qual Lilly reconheceu como uma das suas fontes. Mas note o que Bonatus tem para dizer sobre encontrar a concordância de hora planetária:

“A 143ª Consideração é que considere o modo de julgar, e através de que meios deve alcançar algum julgamento, para que possa examiná-lo e acertadamente analisá-lo, e de acordo com a forma que as estrelas lhe mostram a sua verdade a ser revelada. O método cuja consideração é esta, irá observá-lo de quatorze modos.

 

O primeiro modo é se o querente questiona devido a uma intenção ou não. Pois se o regente do ascendente e o regente da hora forem o mesmo, ou os signos nos quais estiverem os significadores anteriormente mencionados, forem da mesma triplicidade ou da mesma compleição, a questão irá ser proveniente de uma intenção. Se de facto assim não for, ou se o ascendente estiver no final de qualquer signo, a questão não irá ser proveniente de uma intenção, nem radical.” [2]

 

Para esclarecer, as condições de acordo com Bonatus são:

 

O regente da hora é o regente do ascendente:

 

 

Isto é, Marte concorda com Carneiro e Escorpião.

 

O regente da hora e o regente do ascendente estão na mesma triplicidade:

 

 

Marte como regente da hora irá proporcionar concordância de hora planetária a qualquer signo no ascendente, sempre que ele e o regente do ascendente estejam ambos em signos da mesma triplicidade (fogo, ar, etc.). Por exemplo, Marte consegue encontrar concordância com Capricórnio a ascender quando Marte está em Escorpião e Saturno está em Peixes, pois o regente da hora e o regente do signo estão ambos em signos de água. Não existe nenhum signo que seja potencialmente incapaz de oferecer concordância planetária quando ascende numa hora regida por Marte.

 

O regente da hora e o ascendente concordam em compleição (humor):

 

 

Isto é, Marte concorda com Carneiro, Leão e Sagitário, porque são todos quentes e secos (como anteriormente).

 

Com a recente tradução do trabalho de Bonatti em inglês, somos capazes de esclarecer alguns dos princípios que são utilizados por Lilly. Contudo, nesta situação temos duas fontes tradicionais importantes que variam na sua descrição de uma das três condições pelas quais afirmam que a ‘concordância de hora’ é determinada. Não é claro se Lilly interpretou incorrectamente a definição de Bonatti, ou se um ou ambos destes autores se referiam a outros textos que explicavam a concordância de triplicidades de forma diferente. Para responder a isso precisamos de localizar mais indícios provenientes de textos de horária anteriores que comentaram sobre este princípio. Por agora, eu pessoalmente aceito a concordância de hora se qualquer uma das qualificações apresentadas por Lilly ou Bonatus são reunidas. Isto aumenta o potencial de encontrar a concordância de hora planetária, mas na minha experiência um determinado relaxamento da regra como era previamente compreendida é necessário, para explicar os vários mapas que são claramente sinceros e radicais e que no entanto não revelam qualquer concordância de hora planetária. Se pretende considerar ambas como eu faço, as condições completas são como se segue:

 

O regente da hora é o regente do ascendente:

 

 

Isto é, o regente da hora rege o signo do ascendente.

 

O regente da hora e o regente do ascendente estão na mesma triplicidade:

 

 

Isto é, estão ambos em signos de ar, ou ambos em signos de fogo, etc.

 

O regente da hora e o ascendente são da mesma triplicidade:

 

 

Isto é, o regente da triplicidade concorda com os signos que rege de dia ou noite.

 

O regente da hora possui a mesma natureza humoral que o ascendente:

 

 

Isto é, planetas ‘quentes e secos’ concordam com signos ‘quentes e secos’, etc.

 

Por exemplo, os resultados para Marte e Vénus podem ser tabelados como se segue:

 

Hora

Concorda com:

Porquê?

Marte

Carneiro

Rege o signo e concorda em humor.

 

Caranguejo

Rege a triplicidade.

Leão

Concorda em humor.

Escorpião

Rege o signo e a triplicidade.

Sagitário

Concorda em humor.

Peixes

Rege a triplicidade.

Qualquer ascendente quando o seu regente está na mesma triplicidade que Marte.

 

Hora

Concorda com:

Porquê?

Vénus

Touro

Rege o signo e a triplicidade de dia.

 

Caranguejo

Concorda em humor.

Virgem de dia

Rege a triplicidade.

Balança

Rege o signo.

Escorpião

Concorda em humor.

Capricórnio de dia

Rege a triplicidade.

Peixes

Concorda em humor.

Qualquer ascendente quando o seu regente está na mesma triplicidade que Vénus.

 

© Deborah Houlding. Extraído das notas de curso STA, 2007

 

 

Tradução da versão inglesa por,

Paulo Alexandre Silva, DMA

 

 

 

 

[1] Astrologia Cristã, Londres, 1647, p.121.

[2] Liber Astronomiae, ‘The Book of Astronomy’, Tratado 5 – As 156 Considerações; traduzido por Ben Dykes (previsto para publicação: Julho, 2007). Consultar www.bendykes.com para detalhes sobre a publicação.

Na tradução de Coley da mesma passagem (Anima Astrologiae, p.69) lê-se:
 

“A 143ª Consideração é compreender o verdadeiro método de julgar, e através de que modos pode alcançar algum resultado, que possa examinar e acertadamente discutir o mesmo, e descobrir a verdade sobre o que as estrelas lhe mostrarão? E aqui estão os 14 pontos a serem considerados e observados:

1. Se o Querente propõe a questão realmente e intencionalmente, ou não? Pois se o Regente do Ascendente e o Regente da Hora for o mesmo ou se os Signos onde estes Significadores estão colocados forem da mesma Triplicidade ou compleição a Questão é séria; mas caso contrário, se o Ascendente estiver no final de algum Signo, a Questão não é Radical.”

 

 

 

 

Texto gentilmente cedido por Deborah Houlding

Skyscript Astrology Pages

Para consulta do texto na versão inglesa visite:

Hour Agreement & Radical Questions


 

 

Copyright © Paulo Alexandre Silva. Todos os direitos reservados.