BREVES CONSIDERAÇÕES EM ASTROLOGIA TRADICIONAL

DO HAIRESIS AO HAYYIZ
 

(Ou a compreensão do equilíbrio e fortalecimento dos planetas através da sua posição em relação ao dia e à noite)

 

"... e dizem também que um se alegra com o dia e se torna bom aquecendo-se, ao passo que o outro se alegra com a noite por ser ígneo ..." [1]

Plotino, Enéadas II, 3.5 Sobre se os astros influem.

 

A razão deste meu artigo prende-se com a necessidade de esclarecer os conceitos técnicos tradicionais de Hairesis, de Halb e de Hayyiz perante a evidência de uma má interpretação ou má compreensão destes mesmos conceitos pelos estudantes ou mesmo por alguns astrólogosisto poderá dever-se à falta de acesso a novas traduções que dissertam sobre esta temática; traduções estas que agora começam a trazer uma nova luz e compreensão sobre este mesmo tema.

HAIRESIS – TERMINOLOGIA GREGA:

HAIRESIS, frequentemente chamado de Seita, Partido ou Facção. É também muito usual usar o termo inglês SECT, razão pela qual, para uma compreensão facilitada, daqui em diante usarei o termo SECT para definir o Hairesis!

SECT é um termo que se pode observar e aplicar em relação quer ao mapa quer aos planetas.

Um mapa cujo o Sol esteja acima do horizonte, Hemisfério Superior, diz-se que é um mapa Diurno, ou seja; pertencente ao SECT Diurno.

Um mapa cujo o Sol esteja abaixo do horizonte, Hemisfério Inferior, diz-se que é um mapa Nocturno, ou seja; pertencente ao SECT Nocturno.

Quanto aos planetas diurnos diz-se que; do Sol, de Júpiter e de Saturno o SECT ocorre quando os mesmos estão posicionados no Hemisfério Superior, de dia; ou no Hemisfério Inferior, de noite ou seja, alegram-se sempre no mesmo Hemisfério em que se encontra o Sol; pode dizer-se que são do partido do Sol!

Quanto aos planetas  nocturnos diz-se que; da Lua, de Marte e de Vénus o SECT ocorre quando os mesmos estão posicionados no Hemisfério Superior, de noite; ou no Hemisfério Inferior, de dia ou seja, alegram-se sempre no Hemisfério contrário ao qual se encontra o Sol; pode dizer-se que são do partido de oposição do Sol!

Quanto ao planeta Mercúrio diz-se que o seu SECT é variável, se nasceu antes ou depois do Sol, pois se nasceu antes é oriental e diurno; assim o seu SECT ocorre quando o mesmo está posicionado no Hemisfério Superior, de dia; ou no Hemisfério Inferior, de noite. Se nasceu depois é ocidental e nocturno; assim o seu SECT ocorre quando o mesmo está posicionado no Hemisfério Superior, de noite; ou no Hemisfério Inferior, de dia.

Alguns antigos, como Vettius Valens, atribuem a Mercúrio o seu SECT de acordo com os Termos do planeta em que o mesmo se encontra; encontrando-se nos Termos de um planeta diurno torna-se diurno; nos Termos de um planeta nocturno, torna-se nocturno!

"É também necessário considerar o SECT das estrelas, para o Sol, Zeus e Kronos alegram-se quando se encontram acima da terra durante o dia, abaixo da terra à noite. Mas a Lua, Ares, e Afrodite alegram-se quando se encontram acima da terra durante a noite, e abaixo da terra durante o dia. Hermes fica-se com o SECT do regente do termo em que se encontra ..." [2]

Torna-se imperativo não confundir o SECT do mapa com o SECT dos planetas, pois os planetas podem estar no seu SECT mas em contrariedade com o SECT do mapa.

Exemplo:

Mapa Nocturno, Júpiter (e o Sol) abaixo do horizonte é contrário ao SECT do mapa porque é um planeta diurno e o mapa é um mapa nocturno, contudo por estar abaixo do horizonte – Hemisfério Inferior, encontra-se no seu SECT, por se encontrar no mesmo Hemisfério que o Sol!
 

DO ENTEDIMENTO DO SECT E A SUA LÓGICA NO EQUILÍBRIO DOS PLANETAS ATRAVÉS DA SUA POSIÇÂO EM RELAÇÃO AO DIA E À NOITE

(de acordo com Ptolomeu)

"...visto que dois dos intervalos mais óbvios que constituem o tempo, o dia é mais masculino devido ao seu calor e força activa e a noite mais feminina devido à sua humidade e ao seu dom do descanso, a tradição foi-nos consequentemente legada em como a Lua e Vénus são nocturnas, o Sol e Júpiter diurnos, e Mercúrio é neutro ... diurno quando é uma estrela matutina e nocturno como estrela vespertina. Também atribuíram a cada um dos sectores as duas estrelas destrutivas, não contudo nesse caso com base no princípio das naturezas semelhantes, mas exactamente o oposto; pois quando as estrelas do mesmo tipo se ligam àquelas de bom temperamento, a sua influência benéfica é aumentada, mas se estrelas dissemelhantes forem associadas às destrutivas, a maior parte do seu poder prejudicial é quebrado. Assim atribuíram Saturno, que é frio, ao calor do dia e Marte que é seco, à humidade da noite, pois desta forma cada um deles atinge um bom equilíbrio através da mistura e torna-se um membro correcto do seu sector, o que lhe dá moderação." [3]

De acordo com os ensinamentos da Astrologia Helenística a concordância do SECT planetário com o SECT do mapa  favorece a acção benéfica dos planetas benéficos e equilibra ou mitiga o efeito destrutivo dos planetas maléficos.

De acordo com Dorotheus:

"Saturno não prejudica aquele que nasceu de dia e Marte aquele que nasceu de noite." [4] [5]

De acordo com Robert H Schmidt:

"...De acordo com a doutrina do SECT, um planeta benéfico é livre para exercer a sua função benéfica natural quando o SECT diurno ou nocturno ao qual pertence está de acordo com o estado diurno ou nocturno da natividade ... No entanto, quando a natureza do seu próprio SECT é contrária ao SECT da natividade, é pelo menos parcialmente prejudicado na sua função benéfica natural. Se compararmos os SECTS a duas facções ou partidos, podemos entender que um benéfico é mais livre para levar a cabo a sua própria agenda, quando o partido a que deve a sua lealdade é-lhe favorável. No entanto, quando seu próprio partido não lhe é favorável, então ele é forçado a trabalhar dentro da agenda e dos protocolos do partido no poder, a fim de levar a cabo a sua própria agenda benéfica; em outras palavras, ele deve agir de uma forma que não é natural para ele. Os maléficos são modificados de forma contrária de acordo com o estado do seu SECT. Quando um maléfico pertence ao SECT que é-lhe favorável, então as suas tendências maléficas são pelo menos parcialmente mantidas sob controle. Ele tende a colocar a sua natureza maléfica ao serviço do que é bom para o nativo (removendo obstáculos, por exemplo), então podemos dizer que um maléfico no seu SECT torna-se funcionalmente benéfico. No entanto, quando um maléfico é contrário ao seu SECT, ele não tem paciência para trabalhar dentro do quadro previsto pelo SECT que se encontra favorecido; pelo contrário, tende a tornar-se violento e tenta forçar a sua própria agenda maléfica através e às custas do nativo a menos que seja de outra forma contido." [6]

HALB & HAYYIZ – TERMINOLOGIAS ÁRABES: [7]

HALB:

Encontram-se em Halb todos os planetas diurnos que estejam no mesmo Hemisfério que o Sol.

Ou

Encontram-se em Halb todos os planetas nocturnos que estejam  no  Hemisfério contrário ao do Sol.

HAYYIZ:

Encontram-se em Hayyiz todos os planetas diurnos que estejam no mesmo Hemisfério que o Sol e em Signos masculinos.

Ou

Encontram-se em Hayyiz todos os planetas nocturnos que estejam no Hemisfério contrário ao do Sol e em Signos femininos.

"[al-Qabisi I.78] ...dos poderes acidentais dos planetas é o halb: isto é, se um planeta diurno estiver acima da terra durante o dia, e abaixo da terra durante a noite; e um planeta nocturno acima da terra durante a noite e abaixo da terra durante o dia. E se por acréscimo um planeta masculino estiver num signo masculino e um planeta feminino num signo feminino, é dito que está no seu "domínio". E a sua força será como um homem em um local de seu sucesso, aquisição e fortuna." [8]

Pode depreender-se que no conceito árabe – uma apropriação e um desenvolvimento do conceito grego – pelas palavras de al-Qabisi um planeta no seu Halb ou Hayyiz torna-se mais competente para agir, de uma forma mais calma, razoável, equilibrada e confiante, sendo que o contrário também é verdade!

Pertencer ao SECT do mapa confere ao planeta uma certa autoridade, significa algo sobre se o planeta "pertence" ao mapa e tem autoridade natural nele. Mas Halb/Hayyiz diz algo sobre como o planeta pode operar em relação a isso. As duas ideias estão relacionadas, mas não são o mesmo. [9]

Exemplos de Halb e Hayyiz:

Mapa Nocturno, Saturno (e o Sol) abaixo do horizonte – Hemisfério Inferior, num Signo masculino. Aqui, Saturno encontra-se em contrariedade com o SECT do mapa, isto porque Saturno é um planeta diurno e o mapa é nocturno. Contudo encontra-se em Halb por estar no mesmo Hemisfério que o Sol. Por estar posicionado no mesmo Hemisfério que o Sol e num Signo do seu género, Saturno é um planeta masculino, encontra-se também em Hayyiz. Embora contrário ao SECT do mapa encontra-se numa condição auxiliadora.

Mapa Diurno, Júpiter (e o Sol) acima do Horizonte – Hemisfério Superior, num Signo Feminino. Aqui Júpiter encontra-se em concordância com o SECT do Mapa, isto porque Júpiter é um planeta diurno e o mapa também é diurno. Júpiter encontra-se em Halb por estar no mesmo Hemisfério que o Sol mas não se encontra em Hayyiz por ser um planeta masculino colocado num Signo contrário ao seu género.



ILUSTRAÇÕES DOS PLANETAS NO SEU RESPECTIVO SECT, HALB E HAYYZ

 

Figura 1
Mapa diurno com os planetas no seu respectivo SECT, Halb e Hayz

 

 

Figura 2
Mapa nocturno com os planetas no seu respectivo SECT, Halb e Hayz


 

Tomando como exemplo o mapa nocturno apresentado acima, Figura 2, pode dizer-se que:

 

O mapa pertence ao SECT nocturno, pois o Sol encontra-se no Hemisfério Inferior.

Os planetas; Lua, Mercúrio, Vénus e Marte pertencem ao SECT do mapa, planetas nocturnos num mapa nocturno.

Os planetas; Lua, Mercúrio, Vénus e Marte estão no seu SECT, Halb e Hayyiz, encontram-se no Hemisfério Superior num mapa nocturno e nos Signos correspondentes ao seu género.

Os planetas; Sol, Júpiter e Saturno encontram-se em contrariedade ao SECT do mapa, planetas diurnos num mapa nocturno.

Os planetas; Sol, Júpiter e Saturno estão no seu SECT, Halb e Hayyiz, encontram-se no Hemisfério Inferior num mapa nocturno e nos Signos correspondentes ao seu género.



 

[1] Clara alusão a Saturno e a Marte, pois o primeiro alegra-se durante o dia, devido ao dia ser quente e assim equilibrar a natureza fria de Saturno; e o segundo alegra-se durante a noite, pela mesma ser húmida e assim equilibrar a natureza ígnea de Marte de acordo com Ptolomeu.

[2] Vettius Valens; The Anthology, Book III Translated by Robert Schmidt and edited by Robert Hand Project Hindsight

[3] Claudius Ptolomeu; Tetrabiblos, Livro I – Tradução CMM, QHP – Edição Biblioteca Sadalsuud

[4] Dorotheus of Sidon; Carmen Astrologicum, Giuseppe Bezza, The Development of an Astrological Term – from Greek hairesis to Arabic hayyiz – The Winding Courses of the Stars: Essays in Ancient Astrology; Edited by Charles Burnett and Dorian Gieseler Greenbaum; Special Double Issue of Culture and Cosmos: A Journal of the History of Astrology and Cultural Astronomy Vol. 11 no 1 and 2, Spring/Summer and Autumn/Winter 2007

[5] Giuseppe Bezza alerta-nos para a tradução imprecisa desta mesma passagem de  Dorotheus de Sidon; Carmen Astrologicum, na tradução de David Pingree.

[6] Antiochus, with Porphyry, Rethorius, Serapio, Thrasyllus, Antigonus et al; The Astrological Record of the Early Sages – Primary Source Texts From Antiquity Translated into English To Illuminate The Theory And Practice Of Hellenistic Astrology – Definitions and Foundations Translation and Commentary by Robert H. Schmidt, Volume Two Project Hindsight

[7] O conceito árabe de Halb e de Hayyiz embora contenha uma similaridade com o conceito grego de SECT é do meu entendimento que não é exactamente a mesma coisa, isto porque; 1) Halb é uma dignidade acidental que ocorre unicamente com os planetas – a terminologia árabe de Halb não se aplica ao mapa em si mesmo e 2) Hayyiz é também uma dignidade acidental que ocorre também unicamente aos planetas e é composta pelo acúmulo do conceito de Halb mais a concordância de género entre planeta e Signo.

[8] Abu Ma'shar & al-Qabisi; Introductions to Traditional Astrology – translated and edited by Benjamin N. Dykes, PhD

[9] Excerto de correspondência trocada com o Dr. Benjamin N. Dykes a propósito do tema tratado neste artigo.


 




 

O meu agradecimento ao Dr. Benjamin N. Dykes


Paulo Alexandre Silva, DMA
www.astrologiamedieval.com
Todos os direitos reservados © Abril de 2015

 

Copyright © Paulo Alexandre Silva. Todos os direitos reservados.