Guido Bonatti e a Quinta Consideração

 

 

A Quinta é considerar de quantas maneiras a Lua chega a ficar tão mal afectada, as quais são geralmente contadas como dez mas, na minha opinião, podem ser adicionadas mais sete, como resultado das quais acontecem impedimentos e danos em todas as perguntas, natividades, eleições e acções, sejam elas quais forem;

O 1º – é quando a Lua está combusta, quer isto dizer sob os raios do Sol, o que é contado a partir dos 15 graus do corpo do Sol enquanto ela se lhe aplica, até aos 12 graus de distância dele quando ela se separa dele; e o impedimento é maior quando ela se dirige ao Sol do que quando ela se afasta dele; porque quando ela se afasta e já dista dele 5 graus, diz-se que escapou, apesar de não estar completamente livre. É como quando um homem deixou de ter febre, diz-se que está recuperado, apesar de estar fraco e desfalecido, porque ele tem agora a certeza de que recuperará a sua saúde.

O 2° – é quando ela está nos graus das suas descensões, ou seja no 3° grau de Escorpião, ou em qualquer parte de Escorpião ou Capricórnio, ou ligada a qualquer planeta que esteja nas descensões dela ou nas suas próprias descensões, tal como quando ela está ligada ao Sol, estando este em Escorpião ou Capricórnio, ou nas suas próprias descensões, viz. em Aquário ou Balança, viz. no seu 19° grau, ou em qualquer parte de Balança; ou quando está ligada a Marte e ele está em Balança ou Touro, ou no 28° grau ou em qualquer outra parte de Caranguejo; e é assim com qualquer outro planeta ou planetas respectivamente.

O 3° – é quando ela está colocada em qualquer dos graus combustos, dos quais os piores são: aqueles 12 graus que estão antes do grau que fica directamente oposto ao grau em que se encontra o Sol, onde quer que isso seja.

O 4° – é quando ela está em conjunção, oposição ou quadratura a qualquer das infortunas, "Saturno" ou "Marte", sem uma recepção perfeita; pois havendo uma, impede apenas um pouco, mas em todos os outros lugares é um grande impedimento, tanto no dito aspecto como na conjunção física, salvo apenas onde a infortuna tenha duas das suas dignidades menores, como quando Saturno está nos 4 últimos graus de Carneiro ou Gémeos, em cada um dos quais ele detém o termo e a triplicidade; ou quando Marte está nos últimos 10 graus de Peixes, onde ele tem o decanato e a triplicidade; e é assim em qualquer outro signo e lugar.

O 5° – é quando ela está com a Cabeça ou a Cauda do Dragão, ou seja, dentro dos doze graus de distância de cada um, porque esse é o lugar em que ela se eclipsa.

O 6° – é quando ela está em Gémeos, que é o 12° signo a partir do seu próprio domicílio.

O 7° – é quando ela está no final dos signos, que pertencem todos aos termos das infortunas, excepto os últimos 6 graus de Leão, os quais pertencem a Júpiter; mas, nos primeiros oito ela está enfraquecida, porque estes são os termos de Saturno. Se for objectado que, pela mesma razão, ela deve estar igualmente impedida nos primeiros 6 graus de Caranguejo, visto estarem nos termos de Marte, respondo que não porque Caranguejo é o seu próprio domicílio e sua maior fortaleza.

O 8° – é quando ela está nas 6ª, 8ª, 9ª ou 12ª casas (sem recepção com o ascendente), ou ligada a qualquer planeta que esteja em qualquer delas, ou colocada na 3ª casa, porque é cadente dos ângulos; contudo, como se diz que esta é a sua alegria (ou que ela se deleita nela), ela não está tão afligida aí como nas outras casas cadentes.

O 9° – é quando ela está entre o 15° grau de Balança e o 15° grau de Escorpião, sendo estes 30 graus chamados Via Combusta.

O 10° – é quando ela está vazia de curso, ou seja, não está ligada a nenhum planeta fisicamente ou por aspecto, ou naquela condição em que a chamam de feral ou deserta, ou seja, num lugar em que não tem qualquer dignidade.

O 11° – é quando ela está lenta, porque então pode ser comparada com um planeta retrógrado.

O 12° – é quando está com falta de luz, de forma que não se vê, ou vê-se apenas muito pouco dela, coisa que acontece perto do fim do mês lunar.

O 13° – é quando ela está sitiada por duas infortunas que a impedem.

O 14° – se ela estiver em graus Azimene.

O 15° – se ela estiver em graus Encurralados.

O 16° – se ela estiver em graus Esfumados.

O 17° – e último é quando ela está colocada naqueles graus que são chamados escuros. Para conhecer e distinguir todos eles, geralmente existem tábuas na maior parte dos livros de astrologia.

 

 

Texto gentilmente cedido por Maria Carlota Machado Mendes, QHP

Anima Astrologiae, tradução M.C.M.M., QHP - Edição BIBLIOTECA SADALSUUD

Livro Anima Astrologiae em português disponível em - BIBLIOTECA SADALSUUD

 

 

Copyright © Paulo Alexandre Silva. Todos os direitos reservados.