Aforismos e Considerações para um melhor julgamento de qualquer Questão Horária

de

William Lilly

 

1. Ver se a questão é radical, ou capaz de ser julgada; o que ocorre quando o regente do ascendente e da hora são da mesma natureza ou triplicidade.

2. Não confiar no julgamento se os primeiros ou os últimos graus do signo estão a ascender: se ascendem poucos graus, o assunto ainda não está maduro para julgamento; se ascendem os últimos graus, o assunto da questão já aconteceu e é provável que o querente já se tenha ocupado com outros, ou desespere de qualquer sucesso; contudo, os céus recomendam que não se interfira nisso de momento.

3. A posição de Saturno ou Marte na décima, estando peregrinos ou desafortunados, ou o Nodo Sul nessa casa, o artista raramente recebe crédito por essa questão.

4. Não julgar sobre qualquer impulso sem importância, ou sem a premeditação do querente, nem sobre questões insignificantes ou triviais, ou quando o querente não sabe o que questionar.

5. Dar especial atenção à força ou debilidade da Lua, e é muito melhor que seja o regente do ascendente a estar desafortunado do que ela, pois ela traz-nos a força e virtude de todos os outros planetas, e de um planeta para o outro.

6. Observar a condição de Saturno em todas as questões, ele é naturalmente maléfico pelo seu excesso de frio; Marte é de uma influência maléfica devido ao seu excessivo calor; na verdade, nenhum deles é frio ou seco, mas significam-no muito na sua virtude e operação, e portanto, em todas as questões demonstram lentidão e detrimento na questão, a menos que a Lua e eles mesmos se recebam mutuamente na significação.

7. Ver a condição de Júpiter e Vénus, os quais são naturalmente fortunas e temperados, e nunca significam qualquer malícia, a menos que por acidente: quando eles são significadores sem recepção, apressam o assunto, mas realizam melhor o assunto em questão quando se aplicam por trígono ou sextil, e finalizam-no quando estão em dignidades essenciais.

8. Em todas as questões onde as fortunas são significadores, esperar satisfação; mas se são infortunas, então tema o pior e tome as medidas respectivas.

9. Geralmente considere o estado da Lua, pois se ela estiver vazia de curso, não há grandes esperanças que a questão proposta se efective; contudo, se ela estiver em Caranguejo, Touro, Sagitário ou Peixes, o receio pode ser menor, pois nestes casos não está tão impedida por estar vazia de curso.

10. Ver de que planeta a Lua se está a separar, esse planeta mostra o que já foi feito: se for de uma fortuna, é bom; se de um maléfico, é mau; de acordo com a natureza da casa, etc.

11. A aplicação da Lua mostra a condição presente da coisa demandada, viz. a sua aplicação por um bom aspecto, e numa boa casa, a um bom planeta, declara as grandes esperanças da coisa pretendida.

12. A aplicação da Lua a um planeta na sua queda significa angústia, complicações e atrasos na coisa demandada.

13. Um planeta retrógrado ou um que esteja na sua primeira estação, significador da questão, denota um resultado desfavorável na questão, discórdia e
muita contradição.

14. Devemos considerar cuidadosamente se planetas maléficos são significadores em alguma coisa, pois se predizem o malefício na coisa inquirida, a vingança é mais pesada; se eles predizem algum bem, é menor do que é esperado, é imperfeito, e nada daí sucederá sem infinita solicitação e aflição, etc.

15. Um planeta que está lento em movimento prolonga a coisa sobre a qual se questiona, de modo que é dificilmente realizada; a natureza do signo em que se encontra o planeta é de grande auxílio neste julgamento.

16. Quando as infortunas são significadoras de algum mal, considere bem se as fortunas, viz. Júpiter ou Vénus, não lhes lançam qualquer aspecto, pois o mal pretendido anteriormente é diminuído; faça o mesmo quando as fortunas são significadoras.

17. Se as fortunas significam alguma coisa e estão cadentes, ou mal posicionadas nas dignidades, ou não aspectam o ascendente, ou estão retrógradas, então estão impedidas, e realizarão pouco se não estiverem recebidas.

18. Apesar da recepção, se for uma infortuna, realiza mas pouco; mas se o mesmo ocorrer quando as fortunas são significadoras, a coisa é levada à perfeição.

19. Um planeta peregrino, viz. não tendo dignidades essenciais onde se encontra, é mais malicioso do que se possa imaginar; se se encontrar em dignidades essenciais, menos; pois, então, é como uma alma nobre que tem o seu inimigo nas suas garras, mas desdenha de lhe fazer mal.

20. E ainda geralmente, se Saturno ou Marte estiverem no seu domicílio, exaltação, triplicidade e angulares, e tiverem significação na questão, eles realizam a coisa desejada.

21. Não confiar muito na ajuda que uma fortuna dá, a menos que esteja essencialmente dignificada, pois nesse caso realiza os assuntos por inteiro, se não só a metade.

22. Quando numa questão em que tanto as fortunas como as infortunas estão quer fracas quer igualmente mal colocadas, não prometer qualquer sucesso sobre essa questão; diferir o julgamento até que os céus tenham uma melhor posição.

23. Tomar cuidado com todos os julgamentos quando o significador da questão está combusto, ou em oposição ao Sol, então ele não significará nada sobre o assunto, nenhum bem, nem será capaz de levar nada à perfeição.

24. Uma infortuna ligada a outra, qualquer bem significado pelo seu aspecto, não terá, contudo, nenhum efeito, nem chegará a nada: se significam qualquer mal, é provável que tal ocorra com mais malícia do que o esperado.

25. O regente do ascendente fora das suas dignidades essenciais, cadente, etc., mostra que o querente está sem quaisquer esperanças no seu assunto.

26. Um planeta a doze graus [dezassete graus antes ou depois do sol] do Sol, diz-se que está sob os seus raios, e por isso não tem força, esteja ele em que signo estiver; quando um planeta está a dezasseis minutos [dezassete minutos antes ou depois do sol] do Sol, diz-se que está cazimi, ou no calor do Sol, e por isso é uma fortuna adicional, e está maravilhosamente forte.

27. Ver a qual planeta o significador comete a sua disposição, e se está oriental ou ocidental; se for para Saturno, Júpiter ou Marte, e se estiverem orientais, o assunto é realizado mais cedo; mais tarde se estiverem ocidentais; proceder de forma contrária com Vénus e Mercúrio.

28. Observar se o planeta que é significador da coisa desejada se encontra num signo fixo, cardinal ou mutável: signos fixos demonstram estabilidade, e que a coisa continuará, quer já tenha começado ou esteja para começar; signos mutáveis demonstram uma probabilidade elevada de levar as coisas à perfeição, mas não a sua conclusão; os signos cardinais demonstram uma súbita resolução ou conclusão do assunto de uma forma ou de outra. Por este motivo iniciamos as fundações das casas e das cidades quando os significadores estão fixos; viagens curtas quando estão cardinais: mas nas coisas em que definimos um meio-termo, elegemos signos mutáveis.

29. O regente do ascendente ou a Lua com a Cabeça ou a Cauda do Dragão, traz dano para a questão apresentada; observar em que casa se encontram e receber o significado daí.

30. Ver se o grau do ascendente ou do local do signo em que se encontra o significador, é o local de algum próximo eclipse; embora o assunto apresentado esteja num bom caminho para ser concluído, será contudo prejudicado quando menos se espera, e dificilmente é concluído.

31. Se encontrar a Lua impedida em alguma questão, seja ela qual for, haverá demora, dificuldades ou obstáculos na coisa inquirida; e, de facto, raramente boas conclusões se alcançam de uma questão em que a Lua está impedida; se vai para a guerra, deve-se temer pela vida do querente; se numa viagem, insucesso; se casamento, um mau fim do namoro, etc.

32. Se o regente da questão ou a Lua estiverem num signo oposto à sua própria casa, como Mercúrio em Sagitário ou Peixes, etc., o querente não tem grandes esperanças sobre aquilo que questiona, desespera e não tem grande prazer com isso, nem quer saber se se realizará ou não.

33. Considerar diligentemente o planeta que impede o significador da coisa demandada e a casa de que é regente, ou em que está colocado; a partir da natureza ou pessoa dessa casa se deduz a causa obstrutiva.

34. Quanto mais próximo estiver o seu significador de um ângulo, tanto maior o benefício que pode esperar; menor, se estiver colocado numa casa sucedente; pouco, se estiver numa cadente.

35. Em todas as questões, saiba que não há uma tão grande aflição para a Lua, como quando ela está em conjunção com o Sol; os maus aspectos das infortunas afligem-na muito, mas nenhum é tão poderoso como a combustão.

36. Em qualquer questão, ver se uma infortuna aspecta o seu significador e se estão ambos peregrinos, retrógrados, cadentes ou em signos contrários à sua própria natureza, pode-se então suspeitar que eles inferirão todo o tipo de desgraças, como é inevitável, de acordo com as suas causas naturais.

37. Planetas que são significadores de alguma coisa, se estiverem em conjunção, e num signo de natureza concordante à sua, então a coisa inquirida é levada à perfeição com muita facilidade e desembaraço, caso contrário não será.

38. Tenha especial atenção aos significadores, e se alguma frustração ou proibição ocorre antes do aspecto perfeito: o planeta frustrante descreve a pessoa ou a causa que impede o assunto demandado.

39. Considerar sempre a Parte da Fortuna a qual, se estiver bem dignificada em qualquer casa, o querente obterá benefícios através de pessoas ou coisas significadas por essa casa; assim como, se mal dignificada, delas receberá prejuízo.

40. Em questões sobre o casamento, um planeta desafortunado na sétima ameaça discórdia no casamento, a menos que o mesmo planeta seja um significador à nascença.

41. Se o regente da oitava estiver impedido, ou desafortunado, na oitava, o querente será prejudicado pela morte de alguma mulher, ou relativamente a algumas dívidas que lhe eram devidas por pessoas mortas.

42. Na casa em que encontrar Júpiter e Vénus bem dignificados, poderá esperar benefícios através das pessoas e coisas que são significadas por essa casa; assim como, na terceira, de parentes; na quarta, do pai, ou por terras, etc., na quinta pelo jogo, etc., e assim nas outras casas.

43. Tomar cuidado com as pessoas ou coisas pertencentes à casa em que se encontra o Nodo Sul; raramente falha, o querente receberá prejuízo, escândalo ou calúnia das pessoas ou coisas significadas pela casa onde ele se encontra.



Nota: O texto apresentado entre parênteses rectos foi acrescentado pelo tradutor.

 

 

Tradução por Paulo Alexandre Silva, DMA

 

Astrologia Cristã de William Lilly, Pág. 298-302.

 

 

 

Copyright © Paulo Alexandre Silva. Todos os direitos reservados.