A Natividade de William Lilly

por

Sue Ward

 

 

Durante muitos anos, a única cópia existente da natividade de William Lilly era a apresentada por John Gadbury na sua Collectio Geniturarum de 1662. Esta versão foi também usada no facsimile do livro Christian Astrology, publicado pela Regulus em 1985; uma vez que Gadbury odiava Lilly, parece estranho ter incluído este mapa no maior trabalho de Lilly. Sei que Olívia Barclay detestava a carta, mas ela queria que o facsimile fosse publicado e por isso não se opôs à sua inclusão. (Para que fique claro: foi ela quem deu início à recuperação da Tradição, ao permitir que se desmanchasse a sua cópia original do Christian Astrology para ser fotocopiada. Por muito que outros astrólogos de relevo tenham feito nesta área, mais tarde, ela foi a primeira, a mais activa e a mais conhecida. Sei-o porque estive lá, tendo sido uma das suas primeiras estudantes.)

Cabe ao leitor decidir se importa ou não que a maioria dos astrólogos apenas conheça a versão “venenosa”, apresentada por Gadbury, do mapa de Lilly. Contudo, como sempre nos queixamos da falta de precisão dos dados, parece um pouco estranho ignorar o mapa que o próprio Lilly usava.

Este mapa já tinha sido publicado por mim no Astrological Association’s Journal, e apresentado numa palestra há pelo menos cinco anos, por isso não se pode dizer que tenha andado escondido.

Há diferenças importantes entre esta versão “autorizada” e a que foi publicada por Gadbury e pelo seu amigo Blackwell, especialmente no que diz respeito à posição da Lua e à de algumas cúspides. Como Lilly se deu ao trabalho de calcular algumas posições planetárias ao segundo, parece-me um pouco leviano dizer que as diferenças são pequenas e por isso triviais. Para quem não usa direcções primárias como técnica preditiva em mapas natais, estas discrepâncias não têm grande significado, mas parece-me que seguir a Tradição e não usar as primárias é, de alguma forma, incoerente.

A carta aqui apresentada vem do MS Ashm. 394 (Manuscrito nº 394 da Bodleian Library) e é referida pelo próprio Ashmole, como sendo uma cópia do mapa de Lilly.
Esta é a carta correcta, rectificada e com as direcções calculadas pelo próprio Lilly. Quem quer que deseje comentar sobre a vida de Lilly deveria ter como referência esta, e não outra qualquer cópia, a não ser por razões de comparação.

 



Dos manuscritos não publicados de Lilly:



Dos trabalhos publicados de Gadbury:

 

 

Texto gentilmente cedido por Sue Ward

Sue Ward Website

Sue Ward Weblog

Traduzido por: Academia de Estudos Astrológicos

Para consulta do texto na versão inglesa visite:

The Nativity of William Lilly

 

Copyright © Paulo Alexandre Silva. Todos os direitos reservados.